Tipos de enxertos osseos

Como mencionamos no último artigo de introdução aos enxertos ósseos, no artigo de hoje vamos dar a conhecer os quatro tipos de enxertos existentes. Para quem não leu o artigo anterior e não sabe o que é um enxerto ósseo, aconselhamos a que siga a ligação que deixamos, caso contrário, não irá perceber a informação que iremos tentar transmitir neste artigo.

De qualquer das formas, e de uma forma muito resumida, podemos referir que os enxertos ósseos são uma técnica utilizada nas cirurgias de implantes dentários, em pacientes que não têm uma estrutura óssea suficiente para receber um implante, o que obriga a aumentar a mesma, através da colocação de mais material ósseo, que normalmente é retirado da mandíbula do paciente. Esta necessidade acontece porque em alguns casos em que os pacientes já sofreram a perda de um dente à muito tempo, a estrutura óssea atrofia (tornando-se mais fina e menos alta) impedindo assim a realização de um implante segundo os mais básicos procedimentos.


enxertos osseos


Em seguida, passamos então a mencionar os quatro tipos de enxertos ósseos mais comummente utilizados em cirurgias de implante dentário:


  • Enxertos ósseo autógenos: este é o tipo de enxerto ósseo mais utilizado, e onde o material ósseo a ser colocado na zona onde o paciente vai receber o implante dentário, é retirado do seu próprio organismo, normalmente, da zona da mandíbula quando a intervenção é de reduzidas dimensões (um ou dois dentes apenas), ou da zona da bacia, quando a cirurgia é de dimensões superiores. Quando isto acontece, ou seja, quando é necessário recorrer a outras zonas do corpo que não a mandíbula para retirar material ósseo, a cirurgia é realizada em um hospital.
  • Enxertos ósseos homogéneos: este é um o tipo de enxerto ósseo não tão utilizado devido aos seus custos, mas é sem dúvida aquele que mais pacientes preferem fazer, e por vezes não o fazem devido ao facto de ter um preço mais elevado, pois são enxertos onde não é necessário retirar material ósseo do próprio paciente, pois o mesmo provém dos bancos de tecidos humanos, que processam este e outros tipos de material humano, tano para a odontologia como para outras áreas da medicina.
  • Enxertos ósseos alógenos: este tipo de enxerto caracteriza-se por ser retirado da estrura óssea bovina, e que pode ser utilizado isoladamente ou em conjunto com o tecido humano do paciente. Como grande diferença relativamente aos enxertos ósseos referidos anteriormente, está o tempo de duração da sua plena integração ao corpo humano, que pode ser superior em cerca de meio ano.
  • Enxertos ósseos indutores: este é o mais recente avanço nesta área da odontologia/implantodontia. Recentemente, os investigadores da área conseguiram isolar aquela que é a principal proteína para a regeneração dos tecido ósseo humano, e os últimos avanços desta área da ciência estão a permitir regenerar esta componente do tecido humano, evitando assim o recurso Às cirurgias mencionadas nos três anteriores tipos de enxertos que mencionámos.


Os enxertos ósseos, são uma temática de máxima importância na implantodontia, pois sem eles, alguns pacientes só podem receber implantes dentários curtos. Felizmente, esta área da odontologia já está bastante avançada e permite que inúmeras pessoas voltem a sorrir livremente, e segundo os mais recentes avanços, cada vez mais será um processo mais simples realizar um enxerto ósseo que permita a realização de um implante dentário.


Antes de terminar, deixamos ainda um vídeo sobre os enxertos ósseos, onde um especialista fala sobre a temática:

       


Por hoje é só. Como prometido, no artigo anterior, no próximo artigo vamos discorrer sobre os implantes dentários curtos, a única solução para pacientes voltarem a sorrir normalmente, quando não lhes é possível receber enxertos ósseos.

Caso tenha alguma dúvida sobre esta temática, sobre implantes dentários ou outras áreas da odontologia, já sabe, entre em contacto connosco através do formulário de comentários que se encontra no final deste artigo. Prometemos ser breves a responder às suas solicitações.

Até à próxima!

Nenhum comentário: